logotipo
CONTATO
Canal da CBTE no Youtube Página da CBTE no Instagram Fanpage da CBTE no Facebook Procura no site Perguntas Frequentes
03/08/2008
Burocracia atrapalha treinos de brasileiro
por Felipe Mendes

A burocracia e as rígidas leis de Macau (CHN) têm sido uma verdadeira dor de cabeça para o atirador Julio Almeida. Todos os dias o atleta precisa estar pontualmente no horário marcado no estande de tiro para poder receber da polícia os seus instrumentos de trabalho: as pistolas. Um procedimento com o qual o brasileiro não está acostumado.

- Esse vai-e-vém todos os dias das armas e o fato de um policial ficar acompanhando os meus treinos são uma novidade para mim. Sempre existe uma burocracia para entrar com as pistolas nos países, mas o que está acontecendo aqui em Macau eu nunca tinha passado. Minhas armas não ficam comigo. Elas dormem na delegacia - disse Julio.

A reportagem do LANCE! acompanhou um dia de treinamento do atirador e testemunhou todo o procedimento adotado pela polícia local (veja no quadro). Segundo o brasileiro, os horários precisam ser seguidos à risca e, qualquer mudança no período dos treinos, precisa ser informado com antecedência.

A chegada à China, inclusive, trouxe problemas para o atirador. Embora o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) tenha feito um pré-contato com as autoridades chinesas e toda a documentação necessária tenha sido tirada, a burocracia atrapalhou a programação de Julio.

Ele e seu técnico, Volney Filho, chegaram em Hong Kong no dia 24 de julho, de onde seguiram para Macau, local escolhido para o período de aclimatação para a Olimpíada de Pequim. O problema é que as armas demoraram dois dias para sair de uma cidade para outra.

- Foram dois dias perdidos de treino. Fomos nas docas (a viagem de Hong Kong para Macau é feita de barco) buscar as armas acompanhados de policiais. Foi aí que soubemos que as pistolas teriam de ficar na delegacia - contou Julio, comemorando o fato de que, em Pequim, o material ficará guardado no estande de tiro e não terá nenhum policial em sua cola.

Piloto da Força Aérea Brasileira (FBA), Julio espera um bom resultado na Olimpíada. Nas três provas que irá disputar nos Jogos - pistola de ar (10m), pistola de tiro rápido (25m) e pistola livre (50m) - a pontuação máxima é 600 pontos. O brasileiro já obteve 570 na pistola livre e 588 na pistola de ar. Segundo ele, se essas marcas forem alcançadas novamente, a chance de conquistar uma medalha é grande.

O dia-a-dia de Julio Almeida

6h
Julio e seu treinador acordam
6h45
Café da manhã no hotel
7h30
Julio e seu treinador vão para o estande de tiro
8h
A polícia chega com as armas do brasileiro, que estavam guardadas na delegacia
8h30 às 10h30
Julio realiza um treino técnico, o tempo todo acompanhado de longe por um policial
10h30
A polícia leva as armas para a delegacia e Julio descansa até o meio-dia
12h
Almoço e, novamente, a polícia chega com as armas
12h30 às 14h30
Treino simulado das provas olímpicas, sempre acompanhado por um policial
14h30
Mais uma vez a polícia leva as armas para a delegacia
14h30 às 18h
Período de lazer
18h
Corrida leve ou academia
20h
Julio volta para o hotel, onde vai descansar e se preparar para o dia seguinte

QUEM É?

NOME:
Julio Antonio de Souza Almeida.

DATA E LOCAL DE NASCIMENTO:
23/9/1969, no Rio de Janeiro (RJ).

ALTURA E PESO:
1,80m e 84kg.

PRINCIPAIS TÍTULOS:
campeão (pistola livre, fogo central, pistola standard e tiro rápido) e vice-campeão (pistola de ar) no Sul-Americano do Rio, em 2008; sexto colocado (pistola de ar) na Copa do Mundo do Rio, em 2008;
prata (pistola de ar) no Pan do Rio-2007; e prata (fogo central) no Pan de Mar del Plata-1995.

PROVAS EM PEQUIM:
pistola de ar (10m), pistola de tiro rápido (25m) e pistola livre (50m).
por: Lancenet