logotipo
CONTATO
Canal da CBTE no Youtube   Fanpage da CBTE no Facebook   Procura no site   Perguntas Frequentes
30/11/2016
Alteração na grade de disciplinas do Tiro Esportivo para os Jogos Olímpicos Tokyo 2020
A Confederação Americana de Tiro (CAT) emitiu comunicado sobre as sugestões de mudança na grade de disciplinas da ISSF com vista aos Jogos de Tokyo 2020. As mudanças incluem eliminar duas disciplinas da próxima Olímpiadas e a criação de outras duas mistas, valorizando assim a participação feminina nos Jogos. Veja abaixo uma tradução livre do comunicado recebido pela CBTE.

Guatemala, 24 de novembro de 2016.

Por considerar-lhes de suma importância, levo a vosso conhecimento o seguinte:
TÓQUIO 2020: Comissão Ad-Hoc anuncia suas recomendações para o Novo Programa de Tiro Esportivo

A Comissão Ad-Hoc, após concluir sua reunião em Munique, Alemanha, em 23 de novembro, anunciou suas recomendações para estabelecer a igualdade de gêneros no Programa Olímpico. Tais recomendações são resposta aos requerimentos da Agenda de 2020 do Comitê Olímpico Internacional. O COI se encontra trabalhando com as Federações Internacionais para alcançar 50% de participação feminina em Jogos Olímpicos e estimular a relação e presença de mulheres com o esporte criando maiores oportunidades de participação nos Jogos Olímpicos a partir de Tóquio 2020. O COI também recomenda a inclusão de provas mistas, na figura de homem e mulher competindo pelo mesmo país.

O Tiro Esportivo atualmente tem 09 provas masculinas e 06 femininas no Programa Olímpico, ao que se faz necessária uma mudança extraordinária. Com o propósito de responder a esses desafios, o presidente da ISSF, Senhor Olegario Vázquez Raña - com a aprovação de seu Comitê Executivo e Conselho Administrativo - nomeou um Comitê Ad-Hoc integrado por líderes da ISSF com a missão de preparar as recomendações necessárias para alcançar a igualdade de gênero no Tiro Esportivo. O Secretário Geral Franz Schreiber, presidiu essa comissão, que incluiu os vice-presidentes Gary Anderson, Wan Yifu e Vladimir Lisin, assim como representantes de atletas e treinadores, além de outros especialistas do Tiro.

Essa decisão foi tomada pela ISSF no ano de 2015. Desde então, a comissão Ad-Hoc se reuniu 3 vezes para analisar detalhadamente os eventos atuais. O processo envolveu a todos os Comitês de Sessão da ISSF (atletas, treinadores, escopeta, carabina, alvo móvel e técnica) quem avaliaram as diferentes opções e propostas.

A primeira decisão do Comitê Ad-Hoc foi preservar a igualdade de disciplinas e reter as 15 provas olímpicas - 5 Carabina, 5 Pistola, 5 Escopeta. Cada uma dessas disciplinas tem atualmente três provas masculinas e duas femininas no programa olímpico. O comitê decidiu que a melhor forma de alcançar a igualdade de gênero, seria substituir uma prova masculina, em cada disciplina, por uma prova mista em dupla. Nessa fase, foram consideradas múltiplas propostas para definir que eventos deveriam ser substituídos, considerando fatores como a universalidade, apresentação, suas raízes, desenvolvimento e continuidade futura. Diversas provas mistas por equipes foram avaliadas, dando uma consideração especial a seu potencial para apoiar o desenvolvimento do Tiro no mundo.

Após concluir este exaustivo processo de avaliação, o comitê Ad-Hoc finalmente recomendou substituir o programa olímpico de Fossa Double por uma prova mista em Fossa Olímpica, Carabina Deitado por uma prova mista em Carabina de Ar e a Pistola Livre por uma prova mista em Pistola de Ar.

Tomar dessa decisão não foi nada fácil para os membros dos comitês de sessão, atletas, treinadores e principais especialistas da ISSF, os quais cuidam para considerar os melhores interesses para as futuras gerações em nosso esporte, enfatizando a prioridade de conservar o Tiro Esportivo nos Jogos Olímpicos.

A ISSF e a CAT estão publicando as recomendações da comissão Ad-Hoc para que os atletas, treinadores, federações nacionais e simpatizantes possam se informar e apontar suas opiniões, colaborando com a discussão. Interessados podem enviar seus comentários diretamente ao email oficial da CAT. Essas recomendações serão novamente estudadas pela comissão Ad-Hoc, quando o COI tiver conhecimento da avaliação da Rio 2016, em janeiro de 2017. A análise do COI levará em consideração uma ampla categoria de participação e cobertura pelos meios. Uma vez revisadas, as recomendações da comissão Ad-Hoc serão apresentadas ao Comitê Executivo e Conselho Administrativo da ISSF. O conselho tomará a decisão final sobre essas recomendações que a ISSF deverá submeter ao Comitê Olímpico Internacional mais tardar ao fim de fevereiro de 2017. O COI deverá decidir finalmente sobre o Programa Olímpico Tóquio 2020 em meados de 2017.

Até que não se tenha a resolução final do COI em relação ao programa olímpico de 2020, a ISSF manterá todos os eventos vigentes nas Copas do Mundo de 2017, durante as quais serão também realizadas as provas mistas propostas, iniciando em Nova Deli, Índia.

As provas que serão substituídas do programa olímpico continuarão sendo parte dos campeonatos mundiais da ISSF.

Carlos Silva Monterroso
Presidente
Confederação Americana de Tiro

tag: #toquio2020
por: CBTE