logotipo
CONTATO
Canal da CBTE no Youtube   Fanpage da CBTE no Facebook   Procura no site   Perguntas Frequentes
14/06/2019
Guilherme Paraense entra para o Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil
imagem
O Comitê Olímpico do Brasil, através do Instituto Olímpico Brasileiro, IOB, lançou em abril deste ano o processo de seleção para escolha dos membros do Hall da Fama do COB, edição 2019.

O edital recebeu 23 indicações, tendo apenas 17 destas elegíveis de acordo com as regras estipuladas no processo, que também definiu a comissão que iria fazer a escolha, reunindo membros do COB, do Comitê Olímpico Internacional (COI), da Comissão de Atletas do COB e do Conselho de Administração do COB.

Para elegibilidade de cada candidato, era necessário ter pelo menos 75% dos votos da Comissão, após as 6 rodadas de votação até que só restassem os dez finalistas.

O Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil terá dez novos integrantes em 2019: Chiaki Ishii, primeiro medalhista olímpico do judô brasileiro, em Munique 1972; Hortência e Paula, campeãs mundiais de basquete em 1994 e prata olímpica em Atlanta 1996; Joaquim Cruz, campeão olímpico de atletismo nos 800m em Los Angeles 1984 e prata olímpica nos 800m em Seul 1988; os já falecidos Guilherme Paraense (tiro esportivo), primeira medalha de ouro olímpica do Brasil na história dos Jogos Olímpicos (Antuérpia 1920); João do Pulo, duas vezes medalhista de bronze olímpico no atletismo; Maria Lenk (natação), primeira mulher sul-americana a disputar os Jogos Olímpicos, em Los Angeles 1932; Sylvio Magalhães Padilha, primeiro sul-americano a disputar uma final olímpica no atletismo, em Berlim 1936; e os treinadores de vôlei Bernardinho, bicampeão olímpico; e José Roberto Guimarães, tricampeão olímpico.

Guilherme Paraense fico conhecido ao conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos Antuérpia 1920, na pistola de tiro rápido. Esta foi a primeira medalha de ouro do Brasil na história dos Jogos, em todos os esportes. também foi Bronze por equipe e porta-bandeira da seleção, ambos também na Antuérpia em 1920.

“O Hall da Fama do COB pretende eternizar os atletas e treinadores que ajudaram a construir nossa história olímpica. Tenho certeza de que a história desses grandes personagens do esporte será inspiração para novas gerações”, diz o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira, que complementa. “As homenagens estarão à mostra no Centro de Treinamento Time Brasil, futura sede administrativa do COB, em um espaço aberto à visitação pública. Mas, antes, faremos a solenidade de gravação dos moldes junto à sociedade, em eventos ao longo do ano de 2019, como forma de valorizar ainda mais esses heróis”.
por: CBTE