ATLETAS APROVAM TREINAMENTO CENTRALIZADO/COMPETIÇÃO DE TIRO AO PRATO

Facebook
WhatsApp
Email

Durante quatro dias a CBTE organizou o 1º Treinamento Centralizado/Competição de Tiro ao Prato, no Centro Militar de Tiro Esportivo, em Deodoro, no Rio de Janeiro. Os atletas convocados e ranqueados da Fossa Olímpica e do Skeet tiveram a oportunidade de aperfeiçoar seu desempenho técnico e treinar em alto nível como se fosse uma competição seguindo os padrões internacionais. O evento também servirá para definir a equipe brasileira que irá disputar os Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, no mês de outubro.

O paranaense Hussein Daruich, de 15 anos, terminou a fase de classificação da primeira competição de Fossa Olímpica, nos dias 19 e 20, em primeiro lugar, com 120 pontos em 125 possíveis. Na final, foi superado por Emilson Menarim por 32 a 30. Na segunda competição, sábado e domingo, Hussein voltou a finalizar a prova na liderança, com 119/125, e na final venceu Menarim por 34 a 32.

“Fiquei muito feliz em ter participado desse treinamento e competição porque foi um grande aprendizado. Além disso, consegui excelentes resultados 119 e 120 pontos. A cada dia de treino fui melhorando e os resultados foram muito positivos. Também foi importante para o emocional. Para dizer a verdade, na fase classificatória até entrar na final eu fico um pouco nervoso, mas na final é uma consequência e melhoro meu rendimento”, explicou Hussein.

Camilla Cosmoski, que se classificou para a primeira semifinal na sexta-feira e disputou a final na prova de domingo da Fossa Olímpica, destacou a importância do treinamento em ritmo de competição.

“A sensação que nós temos é como se fosse uma prova de Excelência, não um treinamento. Então, a força, o nervosismo, vem tudo junto e contabiliza para a gente ter mais experiência em prova. Foi um aprendiz\ado muito grande porque parecia que estávamos competindo num nível altíssimo, além do aprendizado diário para você aprender a lidar com seu nervosismo, a colocar a técnica correta no momento certo”, analisou a paranaense

Nas duas provas do Skeet, Renato Portela terminou em primeiro lugar na fase classificatória e foi o vencedor da prova de domingo. O atleta que já vivenciou esse treinamento/competição nos Estados Unidos também aprovou o evento.

“É assim que eles usam para fazer as seletivas. Eu acho muito produtivo porque o treinamento sendo feito em competição o atleta se doa mais, atira mais concentrado. A minha expectativa para a temporada é conquistar a vaga para o Pan-Americano e fazer bons resultados para representar o Brasil nas competições internacionais, embora o nível técnico esteja muito equilibrado entre nós”, avaliou.

Georgia Furquin também conseguiu bons resultados no Skeet. Venceu a primeira prova na sexta-feira, ao ganhar na final de Roberth Vieira, e ficou em segundo na prova de domingo, ao ser superada por Renato Portela.

“O nosso esporte é baseado em provas e competições, disputas contra seus próprios resultados e metas. Então todo treinamento que tem esse foco de competição é muito valioso a médio prazo. O trabalho que a gente quer tem a ver com o desenvolvimento em prova. Por isso, é bastante engrandecedor esse tipo de evento”, disse a gaúcha, que disputou os Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019.

O 2º Treinamento Centralizado/Competição do Tiro ao Prato está programado para o período de 9 a 12 de fevereiro, novamente no CMTE.

Facebook
WhatsApp
Email

Deixe o seu comentário!

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.