layout layout
PRINCIPAL ADMINISTRATIVO TÉCNICO INTERAÇÃO INFORME DIVERSOS CONTATO
 NOTÍCIAS
07/04/2016
Dilma barra renovação de isenção fiscal e esporte olímpico liga 'sinal amarelo'
A pouco mais de 120 dias dos Jogos Olímpicos do Rio, a presidente Dilma Rousseff vetou a renovação da isenção fiscal para a importação de equipamentos esportivos que não têm produção nacional, ativa desde 2002. Esse mecanismo, que cortava pela metade o custo de importação, garantiu, por exemplo, a compra de aparelhos para o campeão olímpico Arthur Zanetti e dos barcos da equipe de vela. O veto foi publicado na segunda.

Para Lars Grael, presidente da Comissão Nacional de Atletas, o veto "acende a luz amarela" para o esporte brasileiro. "Imagina o que pode acontecer depois disso? É um sinal muito negativo. O País deseja ser potência olímpica e ser potência olímpica não tem prazo de validade. Isso (o veto) demonstra que nossa preocupação de que o esporte possa cair em depressão depois da Olimpíada é de verdade", diz.

Lars foi quem criou o projeto, como secretário nacional de Esporte. A isenção do Imposto de Importação e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para equipamentos e materiais esportivos que não têm equivalente produzido no País virou lei em maio de 2002 e foi renovada em 2012, até o fim de 2015.

Quando a MP da Olimpíada (693/15) passou pela Câmara, o deputado João Derly (Rede-RS), bicampeão mundial de judô, inseriu emenda que renovava a isenção para "na importação de equipamentos ou materiais esportivos destinados às competições, ao treinamento e à preparação de atletas e equipes brasileiras" até 2022. Ele foi pego de surpresa com o veto, uma vez que as informações que vinham do ministério do Esporte, agora sob o comando de Ricardo Leyser (PCdoB-SP), eram de que o texto seria sancionado na íntegra.

"Eu fiquei muito abismado com esse veto. Isso é muito ruim, péssimo para o País na véspera dos Jogos Olímpicos", critica o deputado, que diz não acreditar que o veto seja uma retaliação à sua saída da base do governo - ele foi eleito pelo PCdoB - para um partido de oposição.

O fim da isenção deve encarecer entre 100% e 120% a importação de equipamentos e afeta diretamente as modalidades que não têm demanda de produção nacional, como ciclismo, esgrima, remo, vela e paralímpicos. "O governo fomenta o esporte, seja por repasse direto, dinheiro das loterias ou isenção de imposto de renda, e depois toma de volta através de imposto. Não faz o menor sentido. É contraproducente", contesta Grael. "Para a vela é um tiro de misericórdia", diz.

De acordo com Derly, o ministro interino do Esporte, Ricardo Leyser (PCdoB), se comprometeu a trabalhar nos bastidores para uma reviravolta, mas a pasta não quis comentar o tema. O deputado pretende derrubar o veto no Congresso. "É uma causa suprapartidária. É o momento de união de COB, Confederação de Clubes, CPB, todos defendendo a causa do esporte", diz Lars. O COB não quis se posicionar e disse que "vai adquirir equipamentos esportivos dentro da legislação brasileira em vigor".

O Ministério da Fazenda citou a da Lei Complementar 101, de 2000, e a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016 para explicar a decisão. Já a Receita Federal disse que não tem previsão do ganho de arrecadação até 2022 com a medida. Um levantamento de 2012 apontava que haviam sido concedidos, até então, cerca de R$ 40 milhões em isenções. "O impacto que isso gera no balanço do governo é ínfimo, mas o impacto negativo no esporte é muito grande", lamenta Lars.
por: IstoÉ Dinheiro Online/BR
ADMINISTRATIVO
Ações Administrativas
CNTE
Comunicados
Contabilidade
Comunicados
DIRETORIA
Estatuto
Federações
Licitações
Presidentes
Quem Somos
Regimento Geral
STJD - CBTE
TÉCNICO
Atletas CBTE
Campeonato Brasileiro
Calendário
Emissão de Certificado
Programas
Projeto CNTE 2016
Provas On-line
Ranking
Recordes
Resultados
Árbitros Internacionais
Árbitros Nacionais
Instrutores
Legislação
Regulamentos e Normas
Seleção Brasileira
INTERAÇÃO
Cadastro On-Line
Carteira de Associado
Classificados
Pagamentos
INFORME
Alvo da Imprensa
Colunistas CBTE
História e Curiosidades
Notas Rápidas
Notícias
Novidades
Perguntas Frequentes
DIVERSOS
Área Médica
Galeria de Fotos
Links
Textos
Vídeos
Confederação
Associada
COB 100 anos
Entidade
Conveniada
Liga Nacional de Tiro ao Prato
Confederação Brasileira de Tiro Esportivo
Rua Miguel Couto, 105 sala 922 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20070-030
Tel.: 55 21 2223-3313 / Fax: 55 21 2283-0522
APOIO AO NOSSO ESPORTE
International Shooting Sport Federation Ministério do Esporte Comitê Olímpico Brasileiro
Shooting Portal
Certificados de Participação Resultados Anteriores