layout layout
PRINCIPAL ADMINISTRATIVO TÉCNICO INTERAÇÃO INFORME DIVERSOS CONTATO
 NOTÍCIAS
19/08/2015
Presidente da CBTE e atletas falam da burocracia que prejudica o tiro esportivo
No Pan-Americano de Toronto, Júlio Almeida acertou no alvo e conquistou pela primeira vez uma medalha de ouro no tiro esportivo. E ele não foi o único. O desempenho da delegação brasileira na modalidade surpreendeu com três medalhas de ouro e uma de prata. Os atletas já estão de olho nas Olimpíadas de 2016. No entanto, reclamam da dificuldade em importar armas e munições.]

Para Julio Almeida, a burocracia é um das principais barreiras para o desenvolvimento do tiro esportivo no Brasil.

Sonora: “Uma pistola que já era para estar usando eu levei um ano e oito meses para conseguir registrar, consegui registrar em fevereiro. Em fevereiro, depois que eu registrei, eu já não tinha mais stand de 50 metros pra treinar, porque fechou o CNTE ( Centro Nacional de Tiro Esportivo, na Zona Oeste do Rio), e aqui só tinha 10 metros até então. Então não consegui usá-las ainda. Estou esperando passar essas competições para depois disso eu começar a treinar, eu começar a me adaptar a essa arma nova que estou querendo usar na competição. O processo, por exemplo, do tiro na Receita, eu levei cinco meses pra conseguir tirar minha arma de lá, e você vai ver, tinha uma pane no software do Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior)”.

O atleta Julio Almeida contou que as armas costumam ficar presas no Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados, ligado ao Ministério da Defesa, e ou então na Receita Federal.

Sonora: "O que você tem que enfrentar de dificuldades para conseguir ter sua primeira pistola, seja ela de ar comprimido que nem tem tantas regras assim, é tão grande que é difícil alguém começar hoje no Brasil. Então hoje o Brasil não em quase juniores."

O presidente da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE), Durval Balen, também se queixa da burocracia e aponta que os atletas encontram dificuldades até mesmo para transportar as armas de treino.

Sonora: "Há uma dificuldade muito grande na aquisição de armas, de munições, inclusive na obtenção de guias de tráfego para permitir o deslocamento dos atletas de suas residências aos locais dos eventos e treinamentos. É uma luta constante."

Já o diretor executivo do Sou da Paz, Ivan Marques, defende maior controle as armas de fogo na mão de civis mas acredita que isso não deve impedir o desenvolvimento do esporte.

Sonora: "Não é possível que o esportista seja cerceado do seu direito, da sua vontade de exercer uma atividade esportiva por conta de uma situação bastante peculiar de violência no país. É preciso sim que haja olhar especial, para que o esportista possa praticar sua atividade. No entanto, o esportista também precisa ter consciência de que o material que ele usa para a prática desse esporte não é um instrumento comum, não é um instrumento que não causa malefícios à sociedade, e para isso ele também precisa ter sua parcela de responsabilidade. "

O ministro do esporte, George Hilton, garante que os atletas que vão disputar os jogos olímpicos não terão dificuldade.

Sonora: "Existe hoje um cuidado muito grande do Ministério da Defesa, do Ministério da Justiça, e tenho certeza que isso não será obice. Os atletas vão poder ter, a seu tempo, o material que precisam para desenvolver o esporte que é tão importante e que vai trazer muitas alegrias, que é o tiro esportivo."

A Receita Federal informou que o tempo médio de despacho de importação não chega a 40 horas, mas que importações sujeitas a controle de outros órgãos, como armas e munições, podem demorar mais.

O Ministério da Defesa não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Para ver a matéria no site de origem, bem como o áudio da matéria, clique aqui!
por: ebc.com.br
ADMINISTRATIVO
Ações Administrativas
CNTE
Comunicados
Contabilidade
Comunicados
DIRETORIA
Estatuto
Federações
Licitações
Presidentes
Quem Somos
Regimento Geral
STJD - CBTE
TÉCNICO
Atletas CBTE
Campeonato Brasileiro
Calendário
Emissão de Certificado
Programas
Projeto CNTE 2016
Provas On-line
Ranking
Recordes
Resultados
Árbitros Internacionais
Árbitros Nacionais
Instrutores
Legislação
Regulamentos e Normas
Seleção Brasileira
INTERAÇÃO
Cadastro On-Line
Carteira de Associado
Classificados
Pagamentos
INFORME
Alvo da Imprensa
Colunistas CBTE
História e Curiosidades
Notas Rápidas
Notícias
Novidades
Perguntas Frequentes
DIVERSOS
Área Médica
Galeria de Fotos
Links
Textos
Vídeos
Confederação
Associada
COB 100 anos
Entidade
Conveniada
Liga Nacional de Tiro ao Prato
Confederação Brasileira de Tiro Esportivo
Rua Miguel Couto, 105 sala 922 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20070-030
Tel.: 55 21 2223-3313 / Fax: 55 21 2283-0522
APOIO AO NOSSO ESPORTE
International Shooting Sport Federation Ministério do Esporte Comitê Olímpico Brasileiro
Shooting Portal
Certificados de Participação Resultados Anteriores